Fabrizzio Facundo

Vem chegando como não quisesse nada e logo se estabelece portador daquilo que é seu. Portador da sua vontade, das suas ideias, desejos, sonhos, enfim da sua vida. Vem de forma violenta e cruel, sem que possamos nos defender de tal ataque. Sentimos medo, pavor. Sentimos solidão de tudo ao nosso redor mesmo estando rodeados de pessoas. Vem transformando a existência de tal maneira que tudo que estava enraizado de boa índole é arrancado até o último centímetro dela e não se importando se são quilômetros dela encravada no chão, assim mesmo é arrancada. Vem moldando suas características visivelmente em seu interior e exterior, reformulando aquilo que existencialmente já havia desde seu princípio. Chega com um ar autoritário, mandão, cheio de vontades próprias que são contrarias as suas. Vida e percepção se tornam marionetes nas mãos daquele que chegou tornando inválida sua existência. Acredito que você se pergunta agora o que tanto chega e faz esse pandemônio? Sabendo pela gramática que não é certo rebato com outra pergunta em proporção parecida. O que você acha que chegou com toda essa devastação? Você irá pensar e pensar, já sabendo a resposta. O que chega assim tão informal e sem sentido se tornando possuidor de tudo que é seu é exatamente tudo aquilo que aqui eu chamo de não-essência, ou seja, aquilo que não é sua formação primordial. Vejamos bem. A não-essência nos trás tamanhos transtornos que o que antes era claro agora escurece escondendo a alma inicial. A não-essência é como um parasita que se instala em seu ego, fazendo com que aconteça uma realidade que não é sua. Essa não-essência se tornou domínio e hoje se faz dona de sua história. Ainda existe tempo para mudar tudo isso. ainda se poder trabalhar com afinco para o crescimento que lhe foi conferido diante da dignidade de ser humano e pessoa. Dignidade essa que foi corrompida pela presença parasitaria da não-essência. Este é o exato momento de se transformar. De se moldar na formação primordial que foi entregue a cada um no exato momento de nossa concepção. Maldade, a não-essência. Ela desfarssa-se em tudo. Em drogas, bebidas, sexo desregrado, mentiras, brigas, corrupção e inúmeras outras coisas que se fosse intitular não caberia neste texto. Tudo isso que foi citado começa pequeno, quase imperceptível e só cresce se o deixar-mos crescer. Entra em nós se abrir-mos a porta lhe dando entrada. Pequenas permiçoes mudam nossa vida e a vida de quem está perto de nós. A chegada é certa porem cabe somente a nós a entrada, crescimento e permanecia de toda essa não-essência. Por fim, acredito que você não deseja que todas essas coisas malditas se apoderem de você e assim faça virar algo que não é bom de se viver. Hoje é o Dia D. Dia de decisão. Descida por você, por aqueles que estao perto e você. Descida pelo amor. Descida pela liberdade. Descidasse pela essência natural proveniente da inocência que um dia tivemos quando criança.
| edit post
Reações: 
2 Responses
  1. kally Says:

    Gostei muito... sua percepção as palavras de otimismo e motivaçao. ...
    aliás seus textos são perfeitos na colocação das palavras! Abraços poeta!


  2. patty Says:

    seus textos são bastante complexos não sei bem onde voce deseja chegar quando usa as palavras


Postar um comentário